Comente Agora

Um Novo Alvorecer

Só Jesus Tem Poder

Quanto Custa Um Parlamentar No Brasil?


Este estudo foi divulgado pelo Bom dia Brasil, demonstrando quanto custa os parlamentares Brasileiros. Os dados são inacreditáveis, é uma vergonha. O minuto trabalhado custa ao contribuinte R$ 11.545 reais. por ano, cada senador não sai por menos de 33 milhões de reais. O custo anual de um deputador é em torno de 6 milhões de reais. O vídeo mostra um gráfico comparando os custos do Brasil com Itália, França, Espanha e Argentina. Resumindo, "OS PARLAMENTARES BRASILEIROS SÃO OS MAIS CAROS DO MUNDO". Ajudem a divulgar, quem paga isso tudo somos nós contribuintes. Isto é Um Escândalo,Uma Vergonha Brasileira, Pois Legislam em Causa Própria. Fora Parlamentares...

19ª Mostra Brasileira de Cinema em Tiradentes Minas

Homenagem ao Cineasta Ítalo-Brasileiro Andrea Tonacci marcou a abertura do evento
        

O evento começou nesta sexta-feira e seguiu até o próximo dia 30. Foram apresentados 35 longas e 82 curtas, em 57 sessões de cinema que vieram de todos os cantos do Brasil. A exibição reuniu\ produções de Tiradentes, Ouro Preto e Belo Horizonte, com apoio internacional da Argentina, Itália e França. Nesse ano, o homenageado foi o cineasta ítalo-brasileiro Andrea Tonacci. 
 A cerimônia de abertura contou com mais de 600 pessoas, incluindo autoridades e representantes dos patrocinadores do evento, entre eles, Fernando Pimentel, governador de Minas Gerais e várias autoridades. 

A coordenadora geral do evento, Raquel Hallak, destacou a importância do festival dentro do cenário cinematográfico brasileiro: “A Mostra de cinema de Tiradentes avança em seu tempo, constitui-se da audácia e desafio. Dispõe-se a valorizar e promover o Cinema Produzido no Brasil”. Na noite de abertura, foi apresentado ao público a temática desta edição -“Espaços em Conflito”. Esse assunto apresenta relação direta com o cinema de Tonacci e também com toda uma produção histórica e contemporânea do cinema brasileiro. Filmes recentes como “O Som ao Redor” (Kleber Mendonça Filho, 2012) e “Branco Sai Preto Fica” (Adirley Queirós, 2014) voltam a tocar na questão dos espaços em conflito, fazendo-se presente ao longo de toda a história do cinema brasileiro; enfatizam a modernidade do Cinema Novo e do Cinema Marginal. Ao receber o troféu, o cineasta André Tonacci afirmou emocionado: “Vocês não fazem ideia de como é surpreendente receber uma homenagem como essa.” Aos 70 anos, vocês não sabem o que significa isso!”. Depois de ser aplaudido pelo público de pé, a noite foi encerrada com a apresentação do filme de abertura Serras da Desordem, documentário dirigido pelo homenageado.
Houve também o lançamento da campanha do Coletivo, #eufaçoamostra composta por ex-alunos das oficinas de Processos Audiovisuais Cocriativas. Cerca de 30 mil pessoas participaram do evento, que reuniu um espaço de cultura e entretenimento. 
A Mostra contou com as exibições dos filmes: “Garoto”, de Julio Bressane, no Cine-Teatro Sesi;  “Futuro Junho”, de Maria Augusta Ramos, no Cine-Tenda; e “Através da Sombra”, de Walter Lima Jr, no Cine-Tenda. Foram exibidos também os curtas, com sessões no Cine-Tenda às 17h (Cena Mineira) e às 18h30 (Panorama I). No Cine BNDES na Praça, “Prova de Coragem”, de Roberto Gervitz, passou às 21h.  Ao fim da noite, à 0h40, teve a primeira Sessão Bendita, com “O Diabo Mora Aqui”, de Dante Vescio e Rodrigo Gasparini.
Fonte:
© 2016 VAN UFSJ











19ª Mostra de Cinema em Tiradentes Minas Gerais

Homenagem ao cineasta ítalo-brasileiro Andrea Tonacci marcou a abertura do evento

Nenhum comentário: